CHEGA, a verdade Que o Povo não deixará calar!

Portugal, um país, uma ideia, um ideal. Uma Nação. Um povo. O primeiro que deu novos mundos ao mundo. As gentes que desde os tempos de Viriato resistiram ao Império Romano, já nessa altura sabíamos o que dizer a qualquer projeto imperialista. Que na batalha de Ourique venceu cinco Reis Mouros, que já nessa altura sabiam quais os valores que construíram o País. Que na Batalha de S. Mamede conquistou a Independência contra o poderoso Reino de Castela, pois nessa altura já tínhamos um horizonte mais alto, um propósito maior e um destino traçado: o da Liberdade.

Contra tudo e contra todos. Volvidos estes séculos, os riscos continuam a ser os de sempre, o perigo de perder a Independência, da destruição da nossa Identidade, do destruir da nossa Cultura, o de negar a nossa História. O Inimigo de ontem e o de hoje querem impor uma identidade, uma cultura, que não são as nossas e que pouco ou nada têm a ver connosco.

A Nova Elite económica, cultural e globalista, que ocupa as organizações Internacionais como a ONU, FMI, a UE e outras milhentas, dirigida por tecnocratas cinzentos que não estão legitimados pelo povo, que não representam o povo, que não estão com o povo. Esses que tais não sabem nem Sonham que jamais Portugal irá negar os seus heróis, a sua história, a sua matriz, cantados por Camões e Pessoa e que a voz do mestiço padre António Vieira profetizou – Portugal vai realizar a sua missão o V império. 

Hoje o Adamastor já não nos atormenta no cabo da boa Esperança, por uma questão meramente estratégica deslocou-se para a capital do Velho Império, na Praça onde se inicia o Cais das Colunas, estende os seus braços desde Belém a São Bento passando pelas redações dos órgão de comunicação social, pagos por muitos milhões do Orçamento do Estado, para além disso ainda restam as suas ninfas que com o seu charme e manipulação influenciam os centros das decisões e das negociatas económicas, sempre defendendo os interesses dos donos disto tudo, mas contra tudo e contra todos, a fé do povo é mais forte que tudo… as vagas que no horizonte nos ameaçam são sete vezes mais altas e mais fortes do que as Vasco da Gama enfrentou… mas não nos metem medo. 

As velas Brancas com a Cruz Encarnada continuam a resistir a 500 anos de tempestades como sempre, continuam a resistir contraventos e tempestades sendo praticamente imunes a todas as ideologias, sejam marxistas ou neoliberais, superadas pela III internacional ou pelo capitalismo selvagem inspirados em George Soros e financiado pela fundação Open Society

Em todos os tempos difíceis da nossa história Portugal foi salvo por portugueses comuns, homens e mulheres de bem… também hoje na nossa Nau há um capitão que olha nos olhos sem medo o Monstro que nos quer desviar do rumo, do destino traçado para o povo Português.

A IV República é o porto que almejamos chegar, um tempo novo se levanta, onde a liberdade vai brotar a vida, vencer a morte e todos poderão realizar os sonhos do seu coração…

CHEGA o tempo decisivo onde tudo se joga, não há tempo para indecisões ou adiamentos, e tu és decisivo, podes fazer diferença. 

Hoje os Cabrais traidores à nação são as Marisas, Anas, Joanas, Medinas, Costas, Ruis, Joões e Marcelos que se alinham num tenebroso baile de máscaras e sombras dançando ao som dos ritmos escolhidos por estrangeiros. 

André Ventura é o homem que o destino escolheu para liderar o processo de libertação dos Vasconcelos do século XXI…

Não há ilegalização possível para a esperança renascida, o CHEGA é a alvorada que grita: o povo unido nunca mais será vencido. 

Como companheiro de luta, posso testemunhar e garantir ao mundo que André vai ser primeiro-ministro de Portugal, muito mais cedo do que pensam 

Resistir é Vencer.                                                            

Manuel Matias