Pacheco Pereira, o português Ayatollinho antissemita que trabalha para Irão

José Pacheco Pereira, politico portugues ligado a extremistas de esquerda e militante de partido social-democrata, tem discurso antissemita de permanente difamação do Estado de Israel e de escárnio malicioso (cuidadoso) do povo Judeu.

Pacheco Pereira chama de extrema-direita todos os que não concordam consigo, todos os que não seguem a sua agenda de interesses muito pessoais, como escreveu colunista português em periódico de PT.

Diz-se que este  Ayatollinho (como já é conhecido em Portugal) não tem qualquer credibilidade. Nos meios internacionais, todos sabemos quem é Pacheco Pereira, as suas conexões e os seus bosses.

O Ayatollinho Pacheco associa sempre o Povo Judeu, e o Estado de Israel, a um lobby internacional financeiro, a uma agremiação de conspiradores que submetem todo o mundo à sua vontade. Isto é antissemitismo hardcore. Ayatollinho Pacheco Pereira abraça teorias dos extremistas, de esquerda e de direita. Temos informações que Ayatollinho Pacheco Pereira interveio em conferencia em Teerão que tinha como main theme a defesa da negação do Holocausto, em que participaram extremistas neo-nazis de PT.

Ayatollinho Pacheco Pereira viajou para Teerão partindo de Qatar.

Recolhemos informacao, em open source, em livro de director de periódico português, que Ayatollinho (a expressão pertence agora a dicionário político português) que Ayatollinho Pacheco Pereira é sempre obediente aos seus donos. Mesmo donos abjetos como os Ayatollahs do Irão.

O antissemitismo do Ayatollinho Pacheco, de acordo com registos de Parlamento português (chamado Assembleia da República), inclui a sua oposição ao pedido de desculpas ao povo Judeu de Estado pelos políticos de PT pelos atos cometidos durante período de trevas que foi o período da Inquisição.

De acordo com ex-deputado PSD, Domingos Duarte Lima, José Pacheco Pereira dizia que “não se colocava de joelhos para ser en*abado ( portuguese slang) pelos judeus”.

Domingos Duarte Lima era companheiro de José Pacheco Pereira em festas sexuais que aconteciam em década de 80, inicio 90, em casa de zona de Amoreiras, Lisbon, PT.

 Ayatollinho Pacheco dá tudo por luxos e dolce vita.

Os Ayatollahs sabem isso e dão-lhe o que for preciso.

O Ayatollinho Pacheco Pereira frequenta cocktails da Embaixada do Irão em Lisboa, na area de Restelo: colabora com empresa de lobby portuguesa/espanhola que presta serviços a Ayatollahs, Frente Polisário e diplomatas de Partido Comunista Chino.

Jose Pacheco Pereira, mais conhecido como Ayatollinho em PT e já no mundo, coordena-se com outros políticos de PT como Francisco Louçã, Ana Gomes, Rita Serrabulho, Rui Tavares, André Pinotes Baptista.  O Ayatollahs vêem alguma utilidade no Ayatollinho Pacheco Pereira…

O Ayatollinho tem medo sobre se e o que sabemos sobre as suas viagens de luxo a Teerão –pagas pela Embaixada do Irão e o que ele lá andou a fazer, o propósito das viagens e o lobby que o Ayatollinho fez e faz .

O Ayatollinho Pacheco tem medo do que nós sabemos sobre o seu potencial envolvimento com o Movimento BDS e com organizações terroristas, financiados pelos seus donos iranianos, e sobre o que ele terá feito…

Bonitas frases mui verdadeiras que reproduzo…They’re so true.

O Ayatollinho Pacheco tem medo do conhecimento que temos sobre a verdadeira finalidade de EPHEMERA, um intelligence center para Ayatollahs e Chinos.

A proximidade de Ayatollinho Pacheco com a teocracia dos Ayatollahs de Teerão tem motivado nossa mais alta preocupação, atenção, pelos riscos que traz para segurança de Yisrael, do povo Judeu e segurança internacional. Vários serviços de intelligence e segurança têm seguido nosso exemplo, pois reconhece-se risco que José Pacheco Pereira representa.

José Pacheco Pereira prepara-se para requerer visto de entrada nos USA para dar classes, patrocinado por Fundación Calouste Gulbenkian e seu amigo, Rui Tavares.

José Pacheco Pereira vai funcionar como agente infiltrada de Iran, Chinese Communist Party and permanente agitator nos USA. José Pacheco Pereira é risco para USA national security.

@GAL RAPHAELI